• Ilustrada

    Friday, 18-Oct-2019 23:19:45 -03

    Filha que acusa Woody Allen de abuso sexual rebate carta do diretor

    DE SÃO PAULO

    09/02/2014 02h53

    Dylan Farrow, filha adotiva de Mia Farrow e Woody Allen, respondeu carta do cineasta publicada no "New York Times", na qual ele rebatia a acusação de tê-la molestado na infância.

    Allen declarou anteontem que a filha foi, desde os sete anos, "educada [por Mia] para odiar seu pai e levada a crer que ele a molestou". O casal se separou nos anos 1990. Na resposta divulgada à imprensa, Dylan Farrow diz: "nada do que ele diga ou escreva pode mudar a verdade".

    Entre os pontos levantados por ela, está o de que não foi sua mãe, Mia, quem levantou as acusações, como escreveu Allen, e sim um pediatra, após ouvi-la [Dylan] na ocasião.

    Dylan disse ainda ser falsa a afirmação de que ninguém reclamara da conduta de Allen antes do suposto abuso. Segundo ela, o pai estava em tratamento desde 1991 por comportamento "inapropriado" em relação à filha e a corte negou a guarda dela a Allen ao concluir que ela deveria ser protegida do pai.

    O caso do suposto abuso sexual voltou à tona no sábado passado, quando Dylan publicou carta no blog do colunista Nicholas Kristof, no site do jornal "The New York Times", com detalhes de sua versão sobre o episódio.

    Foi a primeira vez que Dylan se manifestou sobre o assunto –ela já tinha falado a respeito para perfil sobre Mia Farrow na "Vanity Fair" em outubro.

    Em 1992, quando Allen e Mia Farrow se separaram, o caso foi parar nos tribunais e se tornou público. "Quando eu tinha sete anos, Woody Allen me tomou pela mão e me levou para o sótão no segundo andar de nossa casa", escreveu Dylan.

    Reprodução
    Woody Allen e Mia Farrow em cena do filme 'Maridos e Esposas' (1992)
    Woody Allen e Mia Farrow em cena do filme 'Maridos e Esposas' (1992)

    CASOS DE FAMÍLIA
    Cronologia dos conflitos de Woody Allen e Mia Farrow

    FEV.1992
    Mia Farrow descobre fotos de Soon-Yi Previn, filha adotiva com o pianista André Previn, nua na casa de Allen. Ela teria 20 anos (a idade é incerta por conta das circunstâncias da adoção). Allen confessa ter caso com a jovem

    4.AGO.1992
    Dylan, filha adotiva de Allen e Mia, teria contado à mãe sobre o abuso. Segundo a "Vanity Fair", Mia e Allen iriam assinar um acordo sobre a custódia dos filhos no dia seguinte

    AGO.1992-MAI.1993
    A polícia de Connecticut e promotores investigam as acusações de abuso

    MAI.1993
    O médico John M. Leventhal, que entrevistou Dylan nove vezes, disse que ela teria dado diferentes versões. Em relatório, o médico afirma que a criança teria inventado a história ou teria sido influenciada por Mia

    JUN.1993
    Um juiz dá a guarda das crianças a Mia, e diz não estar convencido de que não haja abuso. Ele diz que a equipe que entrevistou Dylan estaria influenciada por "lealdade" a Allen

    SET.1993
    O promotor do caso anuncia que, apesar de ter elementos para processar Allen, estava desistindo por conta da "fragilidade" de Dylan para enfrentar o julgamento

    DEZ.1997
    Allen se casa com Soon-Yi Previn

    OUT.2013
    Mia e os filhos dão entrevista à "Vanity Fair". Mia diz que o pai do filho Ronan poderia ser o cantor Frank Sinatra e não Allen

    12.JAN.2014
    Após homenagem a Allen no Globo de Ouro, Mia e Ronan Farrow voltam ao tema do abuso em mensagens no Twitter

    27.JAN.2014
    Robert Weide, diretor de documentário sobre Allen, sai em defesa dele em artigo para o "Daily Beast"

    1º.FEV.2014
    Dylan publica carta no site do "New York Times", em que conta os supostos abusos

    3.FEV.2014
    Por meio de um comunicado, Allen classifica as acusações como "mentirosas e infames"

    5.FEV.2014
    Moses Farrow, outro filho adotivo de Allen, defende diretor das acusações de abuso

    8.FEV.2014
    Woody Allen publica carta no "New York Times" negando ter abusado de Dylan e acusando Mia de manipular a filha

    9.FEV.2014
    Dylan Farrow rebate carta publicada por Allen e diz que a acusação foi feita a partir de uma conversa que ela teve com um pediatra na época

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2019