• Ilustrada

    Friday, 24-Sep-2021 01:05:54 -03

    Biografia descreve lado monstruoso de Marlon Brando

    ANDRÉ BARCINSKI
    ESPECIAL PARA A FOLHA

    31/05/2014 02h11

    O jornalista francês François Forestier não se esquece de seu primeiro encontro com Marlon Brando: "Ele era magnético, elétrico, encantador e, ao mesmo tempo, tinha algo de repulsivo. Eu podia ouvir na minha cabeça: Perigo... perigo... perigo...".

    Brando (1924-2004) foi o maior ator de sua época, mas sua vida foi uma sucessão de tragédias. Lindo, seduziu centenas de mulheres e homens, dormiu com metade de Hollywood e destruiu a vida de muita gente.

    Uma filha se matou, assim como várias amantes. O filho foi acusado de assassinato. Por onde passou, o ator deixou corações arrasados e vidas despedaçadas. Terminou a vida sozinho, obeso, deitado num sofá, sem receber nem os amigos.

    Reuters
    O ator Marlon Brando em cena do filme 'O Selvagem' (1953), com direção de Laszlo Benedeck
    O ator Marlon Brando em cena do filme 'O Selvagem' (1953), com direção de Laszlo Benedeck

    Forestier, crítico de cinema da revista francesa "Le Nouvel Observateur", levou dois anos para escrever "Marlon Brando - A Face Sombria da Beleza", uma biografia curta e arrasadora sobre o ator que mudou o cinema.

    O livro foi gestado durante três décadas, durante as quais ele entrevistou dezenas de amigos do ator.

    "Brando era extraordinariamente sedutor, e cada testemunha estava feliz em compartilhar suas histórias comigo. Este homem tinha tantas amantes que o livro poderia parecer um catálogo telefônico."

    Livro
    Marlon Brando
    François Forestier
    Marlon Brando
    Comprar

    Brando, diz Forestier, era um ator incomparável e uma pessoa abominável, um monstro. "Mas me interesso por monstros, acho que eles são nosso verdadeiro lado humano. Tentei revelar a monstruosidade do mundo dele."

    O autor diz que ficou impressionado com a forma egoísta com que Brando tratava mulheres e filhos. "Ele simplesmente não se importava com ninguém. Brando era um monstro do ego, um monstro de infelicidade, um poço de solidão, sem bússola moral, sem senso de direção", diz.

    "Nos últimos anos de sua vida, estava apenas se inclinando sobre a autodestruição, arrastando todos os seus filhos. Algumas pessoas sonham com a criação de um mundo em chamas. Brando sonhou em fazê-lo desaparecer num buraco negro."

    Forestier descreve os filmes estrelados por Brando, e é curioso perceber como o grande ator de obras-primas como "Sindicato de Ladrões" (1954) e "O Poderoso Chefão"(1972) também se meteu em abacaxis.

    "O mito de Brando é tão esmagador que ele se torna mais importante que seus filmes. A verdade é que um bom ator está no seu melhor em filmes ruins. Sua arte transcende tudo. Se você gosta de Brando, esquece os abacaxis que estrelou."

    Até hoje, diz o jornalista, não há ator que se compare a ele. "Há um período 'antes de Brando', e 'depois de Brando'. Ninguém está nessa liga hoje em dia. Ele era o deus dos atores, e o diabo também."

    MARLON BRANDO - A FACE SOMBRIA DA BELEZA
    AUTOR François Forestier
    TRADUÇÃO Clóvis Marques
    EDITORA Objetiva
    QUANTO R$ 29,90 (200 págs.)

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021