• Ilustrada

    Tuesday, 13-Apr-2021 10:31:06 -03

    Análise: Em hino pelos direitos civis, Sam Cooke falava do íntimo da alma

    RONALDO EVANGELISTA
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

    28/12/2014 02h01

    Fundindo a alma da música gospel com a pegada do então nascente estilo rhythm and blues, Sam Cooke ajudou a criar a soul music como gênero.

    Nascido no Mississippi e criado em Chicago, filho de um pastor batista, Cooke fez sucesso ainda jovem cantando com conjuntos vocais de música espiritual.

    Reprodução
    O cantor de soul Sam Cooke
    O cantor de soul Sam Cooke

    Quando se lançou, em 1957, cantando música secular e romântica, foi um choque para a igreja mas uma revelação para o mundo. Foi direto para o topo das paradas, vendendo milhões e encontrando um novo público: a jovem classe média branca americana -ou seja, o tal pop.

    Pelos seis anos seguintes, foram diversos hits escritos e cantados por Cooke, em "singles" como "You Send Me", "I'll Come Running Back to You", "Wonderful World", "Chain Gang", "Bring It On Home to Me" e "Cupid".

    Em 1964, depois do sucesso com canções de paixão e sedução, Cooke escreveu a música que se tornaria um hino da emancipação afroamericana, "A Change Is Gonna Come", falando do mais íntimo de sua alma: "Está levando um longo tempo, mas eu sei que uma mudança vai chegar".

    Emocionantemente falando de seu tempo e lugar, mas servindo tão bem para tantas situações de qualquer um, "A Change" tem pouco mais de três minutos, com arranjo épico de cordas, a inconfundível levada tranquila de violão e bateria das canções de Cooke, e sua voz aveludada, mas intensa desde a primeira entrada.

    "Nasci na beira do rio em uma pequena tenda / e assim como o rio, tenho corrido desde então / tem sido duro viver, mas tenho medo de morrer / porque não sei o que há lá em cima além do céu", canta Cooke.

    Acabaria sendo seu epitáfio. Poucos meses depois, ele seria baleado num hotel em Los Angeles, nu, só com um blazer e sapatos.

    Procurava sua duvidosa acompanhante, que havia fugido com suas roupas e dinheiro, e achava que o hotel estava envolvido. Alegando defesa pessoal, a gerente disparou três tiros contra ele.

    "Moça, você atirou em mim", foram suas últimas palavras, incrédulo. Parece inacreditável, até hoje, que seria assim o fim do revolucionário Sam Cooke.

    Ouça "A Change Is Gonna Come"

    Vídeo

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021