• Ilustrada

    Friday, 03-Dec-2021 00:49:15 -03

    Look de Dilma na posse divide estilistas famosos

    PEDRO DINIZ
    COLUNISTA DA FOLHA

    05/01/2015 03h01

    Reinaldo Lourenço gostou; Walério Araújo acha que ela ficou 'fofa demais'

    O conjunto de blusa e saia usado por Dilma Rousseff na cerimônia de posse, em 1º de janeiro, dividiu opiniões de estilistas consagrados da indústria da moda nacional.

    O look todo feito em renda, encomendado à designer de noivas gaúcha Juliana Pereira, chegou a ser comparado nas redes sociais a uma capa de botijão de gás -mas também foi elogiado por alguns.

    "A presidente estava 'fofa' demais", afirma o estilista pernambucano Walério Araújo, que considerou um erro o tom entre o rosa chá e o off-white. Para ele, "as medidas maiores [da presidente] não permitem cores muito claras pois mostram todas as imperfeições do corpo". "Se fizesse o look, optaria por um vinho de tom bem fechado."

    Fotomontagem
    Dilma Rousseff na posse em 2011 (esq.) e em 2015
    Dilma Rousseff na posse em 2011 (esq.) e em 2015

    O vermelho, cor do PT de Dilma, foi usado pela filha, Paula Rousseff, em um modelo decotado.

    O paulistano Reinaldo Lourenço, no entanto, acredita que Dilma acertou ao mostrar "uma fragilidade e feminilidade que não tem". "Tirar a imagem austera foi uma boa escolha. A roupa era apropriada para o momento e para o corpo dela, que não é magro", diz o estilista, que participa da São Paulo Fashion Week. "Foi um dos melhores looks que ela já usou."

    As medidas do look de Dilma, segundo o cearense Lino Villaventura, deveriam ter sido pensadas com mais esmero por Juliana Pereira.

    "Apesar de ter sido uma escolha feminina, a silhueta em "A" achatou a presidente. A manga parecia apertada, a modelagem estava muito feia, não tinha harmonia nenhuma", diz Villaventura, que tem um ateliê de roupas sob medida disputado por socialites em Fortaleza.

    "Ela tem ombros pequenos, por exemplo. Era preciso dar um pouco de estrutura nessa área. Temos mil recursos para trabalhar melhor as medidas. Já vesti uma noiva de 130 kg e ficou ótimo."

    A escolha do tecido não passou despercebida pela designer carioca Isabela Capeto, especialista em produzir roupas com rendas como a usada por Dilma na posse do seu segundo mandato.

    "Não gostei do efeito das rendas. Elas não parecem ter sido feitas no Brasil e acho que, como presidente, ela deveria escolher materiais produzidos no país, que tem um trabalho rico em rendas", declara Capeto, que teria sido cotada para vestir a candidata Marina Silva, caso não tivesse sido derrotada no primeiro turno da eleição do ano passado. "Terrível [o look] não estava, mas também não estava bom."

    O mineiro Ronaldo Fraga, declaradamente contrário à eleição de Dilma, considera que a roupa, nesse momento, é o de menos. Criticou as comparações dos internautas com o botijão de gás. "Errada ou não, Dilma poderia estar nua que não faria diferença. Tenho tias da idade dela que se vestem assim", diz. "Ela tem 67 anos e ocupa um cargo decisivo para o Brasil. Não dá pra entrar na 'pequenez' de falar de moda."

    "Sinceramente, essa relação com as medidas e o look prova o momento sórdido de inversão de valores que vivemos no país. Ela vai ter problemas muito mais sérios pra resolver a partir de agora do que a roupa que veste."

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021