• Ilustrada

    Monday, 21-Jun-2021 16:52:32 -03

    Roteiro bem feito e qualidade de diálogos dão eficácia a 'Casa Grande'

    ALEXANDRE AGABITI FERNANDEZ
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

    16/04/2015 02h40

    Em seu primeiro longa-metragem de ficção, o jovem diretor e roteirista Fellipe Barbosa radiografa uma família abastada do Rio de Janeiro que vive na mansão à qual o título do filme alude.

    A partir de um olhar sem complacência dirigido a esse núcleo familiar, o filme discute temas como relações de poder, de classe e de trabalho; o teatro das aparências cultivado pelas camadas privilegiadas; a violência social.

    A família atravessa uma crise econômica, pois Hugo (Marcello Novaes), o pai, faliu. Por mais que tente ocultar a situação, ele é obrigado a cortar gastos: com a demissão do motorista, Jean (Thales Cavalcanti), o filho adolescente, passa a ir de ônibus à escola, tradicional colégio carioca que só admite meninos.

    Divulgação
    Cena do filme "Casa Grande"
    Cena do filme "Casa Grande"

    A partir daí, Jean estabelece uma relação diferente com as pessoas, vivendo um percurso iniciático, cheio de descobertas. No ônibus, conhece Luiza, uma garota mestiça (Bruna Amaya), aluna de escola pública e mais madura do que ele, que acaba sendo a primeira namorada.

    No olhar endereçado à família, o preconceito com os menos favorecidos –que começa com os próprios empregados– e o autoritarismo da figura paterna se destacam.

    Arrogante mesmo na queda, Hugo está cheio de expectativas em relação à faculdade que o filho deve cursar e acredita piamente que tudo o que tem é resultado exclusivo de seus próprios méritos.

    Aos poucos, Jean vai enfrentando o pai e acaba encontrando seus próprios rumos, sua identidade. Não sem dores, é claro.

    A crítica social é destilada com sinceridade e agudeza, sem esquematismos, com exceção da cena em que Luiza discute sobre cotas na universidade com os pais de Jean.

    A eficácia dessa história radica no roteiro –sem ousadias formais, mas muito bem feito e cheio de ressonâncias autobiográficas–, na riqueza de certos personagens e na qualidade dos diálogos, verossímeis e com alguma dose de humor.

    CaSA GRANDE
    DIREÇÃO: FELLIPE BARBOSA
    ELENCO: THALES CAVALCANTI, MARCELLO NOVAES E SUZANA PIRES
    PRODUÇÃO: BRASIL, 2014, 14 ANOS

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021