• Ilustrada

    Sunday, 09-Dec-2018 20:26:02 -02

    Terry Crews defende comédia e feminismo em 'Brooklyn Nine-Nine'

    PEDRO CAIADO
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, DE MONTE CARLO

    16/08/2015 02h24

    "Eu acho uma pena comediantes receberem cachês menores do que os de outros atores", diz o comediante Terry Crews, 47. Em entrevista à Folha durante o Festival de Televisão de Monte Carlo,em junho, o norte-americano levantou a bandeira pela igualdade entre a comédia e os demais gêneros do cinema e da TV.

    "Por que um comediante é bom o suficiente para apresentar o Oscar, mas não para ser indicado a um prêmio da Academia?", questiona o ator, que deixou a carreira de jogador de futebol americano para se dedicar ao cinema.

    "A Academia pensa que comédia não é importante e eu não concordo com isso. O Bradley Cooper de 'Se Beber Não Case' é tão importante quanto o de 'Sniper Americano'", defende. "Eddie Murphy em 'Professor Aloprado' é genial, difícil de achar igual."

    Erica Parise/NBC
    Os atores Stephanie Beatriz, Terry Crews e Chelsea Peretti em cena da segunda temporada de 'Brooklyn Nine-Nine'
    Os atores Stephanie Beatriz, Terry Crews e Chelsea Peretti em cena da segunda temporada de 'Brooklyn Nine-Nine'

    Conhecido por comédias escrachadas como "As Branquelas" (2004), o americano de 1,89 m de altura está fazendo humor atualmente na série "Brooklyn Nine-Nine", exibida no Brasil pelo canal TBS.

    Estrelada por Andy Samberg (do humorístico "Saturday Night Live"), "Brooklyn Nine-Nine" ganhou repercussão nos EUA logo em sua estreia, em 2013. Ambientada em um departamento policial do bairro de Nova York, a série dos mesmos criadores de "Parks and Recreation" e "The Office" vai pela mesma toada: sátira ao ambiente de trabalho.

    Crews rouba a cena no papel de Terry Jeffords, também conhecido como Elbony Falcon, um sargento que acaba afastado das ruas após uma crise de pânico.

    O personagem tem um lado feminino aflorado, e Crews admite sua semelhança com o sargento. "Eu sou mais Terry Jeffords que Terry Jeffords", diz o intérprete, feminista declarado e autor de um livro sobre o assunto, "Manhood" (masculinidade, em português). "Não aceito participar de projetos que mostram a mulher como objeto sexual", completa.

    SEM-VERGONHA

    Para o ator, não há segredo em fazer comédia. "Você faz e, se não funcionar, você faz de novo", diz. "Se eu tiver que soltar um pum na frente de milhões de pessoas, eu faço. Pum é uma qualidade do ser humano. Você precisa ser honesto e sem-vergonha. Qualquer inibição mata a comédia. Mas humor também não pode ofender o espectador."

    O americano, que também apresenta o programa "Quem quer Ser um Milionário?" nos Estados Unidos, confessa que teve dúvidas sobre o sucesso de "Brooklyn Nine-Nine".

    "Já fiz filmes que, pelo roteiro, percebi que não dariam certo, mas eu já havia assinado o contrato. Mas alguns filmes, que no início achava que seriam péssimos, acabaram se tornando lendários", afirma, em referência ao longa "Idiocracia", de 2006.

    "Pensei que 'Brooklyn Nine-Nine' fosse pelo mesmo caminho [de fracasso], mas se tornou um sucesso imediato. Ficamos chocados." A série ganhou dois Globos de Ouro em 2014 e foi renovada para a terceira temporada, que estreia em setembro nos EUA.

    BROOKLYN NINE-NINE
    Último episódio da 2ª temporada
    QUANDO 28/8, às 14h45, na TBS

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2018