• Ilustrada

    Sunday, 03-Mar-2024 15:28:47 -03

    'Jagged Little Pill', de Alanis Morissette, completa 20 anos; veja 5 curiosidades da cantora

    DE SÃO PAULO

    10/09/2015 17h00

    Há 20 anos, a canadense Alanis Morissette lançava o álbum "Jagged Little Pill". Canções como "Head Over Feet", "You Oughta Know", "You Learn" e "Ironic", que escancaravam a dor e a raiva da moça abandonada, ajudaram o disco a vender mais de 33 milhões de cópias pelo mundo.

    Em outubro, "Jagged Little Pill" (que, em português, significa algo como "pilulazinha difícil de descer") ganhará duas novas versões.

    A de colecionador, em formato digital para o Brasil, traz um disco com áudio remasterizado do álbum original e outro com dez demos inéditas. No pacote, há ainda um concerto inédito de 1995 e o Acústico de "Jagged Little Pill", de 2005.

    A "Deluxe Edition" inclui dois álbuns (o original remasterizado e o de demos inéditas) e estará disponível em formato físico e digital.

    Alanis começou a gravar o disco antes do aniversário de 20 anos. Hoje, está com 41.

    A MALHAÇÃO DE ALANIS

    Em 1996, ela fez uma participação na novela juvenil "Malhação", da Globo.

    Cantou seu hit "Head Over Feet" na academia onde se encontravam Héricles (Danton Mello), Mocotó (André Marques), Romão (Luigi Baricelli) e Mariana (Susana Werner).

    Em 2003, ela flertou com a carreira global de novo: fez uma ponta em "Celebridade", junto com outros músicos na trilha sonora da novela, como Julio Iglesias e Alejandro Sanz.

    Alanis em 'Malhação'

    COMO UMA DEUSA

    Na TV americana, ela já foi uma médica na série "Weeds", a namorada de uma anestesista em "Nip/Tuck" e beijou Carrie Bradshaw (Sarah Jessica Parker) em "Sex and the City".

    Divulgação
    Alanis Morissette é Deus no filme 'Dogma' (1999)
    Alanis Morissette é Deus no filme 'Dogma' (1999)

    Foi no cinema, contudo, que Alanis interpretou seu papel mais grandioso: Deus em "Dogma", filme de 1999 dirigido por Kevin Smith. Ben Affleck, Matt Damon e Salma Hayek eram colegas de elenco.

    PAQUITA

    A personagem canadense Robin Scherbatsky (Cobie Smulders), da série "How I Met Your Mother", teve na adolescência o alter-ego Robin Sparkles –uma cantora pop de hits como "Let's Go to the Mall" que, a certa altura da carreira, se revolta, fica mais punk-rock e vira Robin Daggers (Robin Adagas).

    Alanis serviu de inspiração para a cantora ficcional. Ela estourou no Canadá com os álbuns pop "Alanis" (1991) e "Now is the Time" (1992) antes de virar ícone mundial do rock alternativo, com o single "You Oughta Know", sobre uma mulher que "parabeniza" o ex pelo novo relacionamento e questiona se a namorada atual faria "sexo oral no cinema".

    Fotomontagem
    Robin Sparkles, a personagem da TV, e Alanis em 1991
    Robin Sparkles, a personagem da TV, e Alanis em 1991

    Lembra uma paquita canadense nas capas do disco de estreia, com cabelão armado e brinco de argola. O primeiro hit, "Too Hot", foi classificado pela mídia local como algo que poderia ter saído do repertório de Paula Abdul.

    AMOR AOS PEDAÇOS

    Alanis conheceu o ator Ryan Reynolds ("Lanterna Verde"), canadense que nem ela, na festa de aniversário de 2002 de Drew Barrymore. Começaram a namorar pouco depois e chegaram a ficar noivos.

    Após romperem, Ryan casou com Scarlett Johansson (de quem também se separou, engatando relacionamentos com Sandra Bullock, Charlize Teron e a atual, Blake Lively).

    Fotomontagem
    O ator Ryan Reynolds e a cantora Alanis Morissette, que namoraram nos anos 2000
    O ator Ryan Reynolds e a cantora Alanis Morissette, que namoraram nos anos 2000

    Em seu sétimo álbum, "Flavors of Entanglement", a cantora teria escrito músicas em "homenagem" ao ex, como "Underneath". Um trecho da letra vai assim: "Look at us waging war in our bedroom" (olhe para nós fazendo guerra no nosso quarto).

    POLÊMICA

    Em "Hands Clean", do álbum "Under Rug Swept" (2002), Alanis canta sobre ter se relacionado, aos 14 anos, com um homem mais velho que não é nomeado. O caso configura estupro estatutário –o equivalente, no Código Penal brasileiro, a relações em que a mulher, ainda que faça sexo consensual, tem 14 anos ou menos.

    Ela narra a história sob a perspectiva dele: ''If you weren't so wise beyond your years/ I would've been able to control myself/ If it weren't for my attention you wouldn't have been successful''. (Em português: "Se você não fosse tão sábia além de seus anos/ Eu teria sido capaz de me controlar/ Se não fosse por minha atenção/ Você não teria sido um sucesso".)

    Ao "New York Times", em 2002, a cantora disse que não se arrepende do romance, pois fez dela a mulher que é hoje.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2024