• Ilustrada

    Sunday, 21-Apr-2024 17:41:12 -03

    Crítica

    Em novo filme, Eli Roth prefere sustinhos ao terror absoluto

    CÁSSIO STARLING CARLOS
    CRÍTICO DA FOLHA

    12/10/2015 02h23

    A casa é um lugar tão clássico do cinema de terror e de suspense que ninguém que tenha o costume de assistir a esse tipo de filmes abre a porta para estranhos sem antes sentir um ligeiro calafrio.

    "Bata Antes de Entrar" busca reviver a experiência clássica desse pesadelo consagrado em filmes como "Halloween" (2007) ou "Pânico" (1996), mas acaba reproduzindo a visão puritana de "Atração Fatal" (1987), no qual o adultério aparecia como o pior dos pecados e exigia punição.

    Talento não falta ao diretor Eli Roth quando decide, como aqui, se dedicar menos a apavorar com amputações e sanguinolências, como fez tanto em "O Albergue" (2005) ou "Canibais" (2013).

    Divulgação
    Ator Keanu Reeves em cena de 'Bata Antes de Entrar'
    Ator Keanu Reeves em cena de 'Bata Antes de Entrar'

    Na primeira parte de "Bata Antes de Entrar", o diretor constrói climas de suspense com habilidade, explora a dúvida e a suspeita e filma a casa como espaço confortável e sob controle que de repente pode virar uma câmara de torturas.

    Ali, sozinho durante um feriado e na ausência de sua família perfeita, o arquiteto quarentão Evan Webber (Keanu Reeves) cria um novo projeto, fuma maconha e ouve músicas para melhor se inspirar.

    A chegada de Genesis, interpretada por Lorenza Izzo ("Canibais") e Bel ("Blind Alley"), papel de Ana de Armas, uma dupla de jovens gostosas e perigosas, começa perturbando de leve a ordem e aos poucos desmantela todo o equilíbrio privado construído pelo protagonista.

    Para funcionar, a trama precisaria provocar uma empatia pela vítima que a imagem pouco frágil do ator Keanu Reeves ("Matrix") impede que aconteça. Enquanto as intérpretes das garotas passam do simulado ao cruel com uma intensidade histérica.

    Em vez de seguir a sugestão inicial, da ameaça vaga que progride até o terror absoluto, Eli Roth prefere o caminho dos saltos.

    Depois que abandona a tortura psicológica e passa para a ação física, o diretor coloca o filme no piloto automático e se preocupa apenas a provocar sustinhos.

    BATA ANTES DE ENTRAR
    (Knock Knock)
    DIREÇÃO Eli Roth
    ELENCO Keanu Reeves, Lorenza Izzo, Ana de Armas, Ignacia Allamand, Aaron Burns, Colleen Camp
    PRODUÇÃO Chile/Estados Unidos, 2015, 16 anos
    QUANDO em cartaz

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2024