• Ilustrada

    Sunday, 25-Aug-2019 10:35:19 -03

    Por 'Aquarius', Anna Muylaert não inscreverá seu filme disputa do Oscar

    GUILHERME GENESTRETI
    LETÍCIA MORI
    DE SÃO PAULO

    24/08/2016 16h17 - Atualizado às 19h59

    Após o diretor Gabriel Mascaro, a diretora Anna Muylaert disse que também não irá incluir "Mãe Só Há Uma" na disputa pela vaga brasileira no Oscar.

    "Achamos que este é o ano de 'Aquarius'. É o filme certo", disse a cineasta à Folha. Ela se refere ao longa de Kleber Mendonça Filho, que é um dos favoritos à vaga e que está no centro de uma polêmica envolvendo a nomeação do crítico Marcos Petrucelli para a comissão responsável pela escolha.

    Petrucelli já usou seus perfis em redes sociais para atacar Mendonça Filho após o ato anti-impeachment encampado pelo cineasta e pela equipe de "Aquarius" na estreia do filme, durante o Festival de Cannes. A informação foi noticiada pela coluna "Sem Legenda", da Folha.

    Divulgação
    Cena de "Mãe Só Há Uma", de Anna Muylaert
    Cena de "Mãe Só Há Uma", de Anna Muylaert

    "Vergonha é o mínimo que pode se dizer", escreveu Petrucelli, comentando o ato que contou com Sonia Braga e Maeve Jinkings empunhando cartazes "um golpe de Estado ocorreu no Brasil", em referência ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

    Demais membros da comissão, composta por nove pessoas, disseram que a escolha não será "partidarizada.

    Na tarde desta quarta (24), Mascaro também havia decidido retirar "Boi Neon" disputa em solidariedade à recepção politizada em torno de "Aquarius". O cineasta afirmou que não se sente "confortável em participar de um processo seletivo de interesse público que tem demonstrado imparcialidade questionável."

    FILMES CONFIRMADOS

    Outro dos longas inscritos é o drama social "Tudo que Aprendemos Juntos", de Sérgio Machado. Caio Gullane, produtor do longa, diz que ainda não estuda retirar a inscrição do longa.

    Afonso Poyart, diretor de "Mais Forte que o Mundo –A História de José Aldo", disse que também vai se manter na disputa.

    "Por que tirar o filme? Acredito nele. Respeito a atitude [dos outros diretores], mas não pretendo retirar. A decisão é do comitê."

    Outro concorrente, "Pequeno Segredo", também continua. "Ele tem uma temática que pode interessar ao Oscar. Investimos muito tempo e paixão para fazer um filme tecnicamente impecável e emocionante", disse o diretor David Schurmann.

    O drama "Pequeno Segredo", que ainda não estreou no país, é baseado na própria história da família do diretor, os Schurmann, a famosa família brasileira de velejadores. O conflito da trama gira em torno da adoção de Kat, irmã de David, que era soropositiva e acabou morrendo após rodar o mundo com a família adotiva.

    OUTRO LADO

    Procurado, Petrucelli disse que não irá comentar o assunto, mas lamentou a escolha de Mascaro e Muylaert. "Não deveriam ter feito isso, porque perderam uma grande oportunidade."

    O Ministério da Cultura divulgou uma nota em seu site, reforçando "a confiança na capacidade e na isenção da comissão escolhida pela Secretaria do Audiovisual.

    "A escolha do filme atende a critérios estritamente técnicos", informou.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2019