• Ilustrada

    Tuesday, 26-Mar-2019 11:54:59 -03

    CRÍTICA

    Coleção reúne início de carreira promissor de Alan Moore

    ÉRICO ASSIS
    COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

    08/11/2016 02h38

    O britânico Alan Moore, 63, anunciou que vai se aposentar dos quadrinhos. Embora não seja a primeira vez que ele faz isso, a nova promessa coincide com o lançamento de seu segundo livro de prosa, "Jerusalem", um tijolo de mais de mil páginas.

    Enquanto o autor tenta alcançar um novo status no mundo literário, sai no Brasil "Choques Futuristas", coleção de algumas de suas primeiras HQs, da época em que ele tentava ser alguém no mercado de quadrinhos. As histórias foram publicadas na revista britânica "2000 AD" entre 1980 e 1983.

    Esses e outros trabalhos catapultaram-no para o mercado norte-americano. "Watchmen" e "V de Vingança", ainda nos anos 1980, definiram sua carreira. Os filmes de super-herói bilionários e a aceitação das HQs entre a elite cultural são consequências diretas do que Moore e poucos outros produziram há 30 anos.

    Divulgação
    Trecho de 'O Jogo da Sedução', uma das histórias do livro
    Trecho de 'O Jogo da Sedução', uma das histórias do livro

    É o caso de "Choques", que traz histórias de duas a seis páginas, inspiradas na literatura barata de ficção científica.

    A seção era a área de testes de novos autores da "2000 AD". Viagens no tempo, alienígenas e/ou robôs eram necessários, e recomendava-se um final com puxada de tapete no leitor. Humor era opcional, mas benquisto.

    Reler essas histórias hoje, quando o autor já é consagrado, acaba afetando a avaliação. Mas é inevitável ver algumas obsessões que Moore desenvolveria em outros trabalhos: a guerra, o fim do mundo, a crítica ao conformismo.

    Outra característica já presente –e um dos motivos da sua consagração– é a capacidade de espremer prolongamentos criativos e lógicos de cada premissa. Em "Queimadura Solar", por exemplo, ele inventa gírias de surfista específicas para uma colônia de férias na superfície do Sol.

    A coleção chega ao ápice na seção "Distorções Temporais". "O Homem Reversível" e "Crono-Canas" são considerados clássicos de Moore pela complexidade de armar, respectivamente, a história invertida de um homem, da morte ao nascimento, e a investigação de uma dupla policial especializada em crimes com viagem no tempo.

    Entre os colaboradores de Moore estão Alan Davis ("Miracleman") e Dave Gibbons ("Watchmen"). Estes e outros desenhistas da edição, contudo, parecem seguir uma pasteurização do traço em preto e branco clássico. Pelo desenho (e também pela quantidade de texto), as histórias poderiam ser dos anos 1950.

    Por fim, "Choques Futuristas" acaba não sendo apenas recorte da evolução inicial de Alan Moore, mas um vislumbre dos estertores das HQs curtas e imaginativas, cujo grande trunfo é apresentar a grande ideia de cara, dar seu choque no leitor e sair subitamente de quadro.

    CHOQUES FUTURISTAS
    AUTOR Alan Moore e outros
    TRADUÇÃO Pedro Bouça
    EDITORA Mythos
    QUANTO R$ 79,90 (220 págs.)

    Edição impressa

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2019