• Mercado

    Monday, 21-Jun-2021 17:07:06 -03

    OMC enfrenta a 'crise mais grave' de sua história, diz Roberto Azevedo

    DA AFP

    08/11/2014 16h25

    A OMC (Organização Mundial do Comércio), paralisada pelo bloqueio da Índia ao acordo concluído em Bali em dezembro de 2013, enfrenta a "crise mais grave de sua história", disse neste sábado (8), o diretor-geral da organização, Roberto Azevedo.

    "Na prática, as negociações multilaterais no seio da organização estão paralisadas por essa impasse", disse durante o Fórum de Cooperação Econômica Ásia Pacífico (APEC), em Pequim.

    Os 160 países membros da OMC, incluindo a Índia, entraram em acordo em dezembro do ano passado na Indonésia sobre um texto que pretendia reformar e simplificar as regras de comércio mundial, particularmente os procedimentos aduaneiros.

    Esse "acordo sobre a facilitação de trocas" estava sendo negociado durante quase dez anos. No entanto, a Índia se negou a assinar o protocolo do acordo em 31 de julho, procedimento indispensável para começar o período de ratificação do texto pelos Estados-membros.

    A Índia exigia garantias sobre a ajuda financeira que outorga a seus produtores agrícolas, o que os países ocidentais contestam porque consideram como subsídios encobertos.

    "As importantes negociações sobre o conjunto de medidas previstas pelo acordo de Bali estão suspensas" e "a paciência dos Estados membros se acaba rapidamente", acrescentou o brasileiro, que dirige a OMC desde setembro de 2013.

    SEM AVANÇOS

    Washington e Nova Delhi mantiveram discussões bilaterais sobre o assunto, de acordo com Azevedo, que disse ter sido informado pelo representante de comércio dos EUA, Michael Froman.

    "No entanto, não parecem ter feito avanços durante essas negociações", disse.

    O diretor-geral da OMC viajará em novembro a Austrália para reunião do G20, de que faz parte a Índia, e assegurou que vai enfatizar a "gravidade da situação".

    Criada em janeiro de 1995, a organização tem duas missões principais: definir novas regras de comércio internacional e resolver conflitos comerciais entre os países membros.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021