• Mundo

    Saturday, 02-Jul-2022 13:46:53 -03

    Polícia russa detém líder da oposição Alexei Navalny durante protesto

    DA REUTERS

    28/01/2018 12h41 - Atualizado às 08h15

    Frererick Florin - 24.jan.2018/AFP
    Russian opposition leader Alexei Navalny looks on ahead of a hearing at the European Court of Human Rights (ECHR) in Strasbourg on January 24, 2018.?Kremlin critic Alexei Navalny arrived at the European Court of Human Rights for a fresh hearing after the court in February condemned Moscow for subjecting him to disproportionate arrests. Both Moscow and Navalny appealed the ruling. / AFP PHOTO / FREDERICK FLORIN ORG XMIT: FFL5478
    O líder de oposição russo Alexei Navalny

    A polícia russa deteve neste domingo (28) o líder de oposição Alexei Navalny, momentos após ele aparecer em um protesto e pedir aos eleitores que boicotassem o que ele diz que será uma eleição presidencial fraudada em março.

    Vídeos postados em redes sociais mostram que Navalny apareceu na principal via de Moscou, a poucos metros do Kremlin, para se juntar as pessoas que participavam de um protesto, que as autoridades qualificaram como ilegal.

    Ele andou poucos metros quando foi cercado por policiais que vestiam capacetes e o derrubaram no chão, arrastando-o depois para dentro de uma viatura policial.

    A conta pessoal de Navalny no Twitter traz uma postagem para seus seguidores em que diz que ele foi preso. "Isso não importa. Venha à Tverskaya [rua próxima a prefeitura de Moscou]. Você não estará vindo por mim, mas por seu futuro", afirma a mensagem. Ele foi liberado pela polícia no início da noite.

    Mais cedo, a polícia forçou a entrada no quartel-general de campanha de Navalny e citou relatos de uma ameaça de bomba, informaram apoiadores do opositor de Putin.

    Navalny foi impedido de participar da eleição em 18 de março, na qual as pesquisas mostram que o atual presidente Vladimir Putin deverá ganhar facilmente.

    Embora ele admita que Putin será reeleito, sua campanha de boicote tem como objetivo reduzir a participação dos eleitores para tentar tirar o brilho de uma vitória de Putin.

    O Kremlin afirma que as eleições serão justas. O governo russo diz que Navalny e seus defensores têm um nível de apoio mínimo e tentam irresponsavelmente fomentar uma raiva social que pode gerar turbulência.

    Edição impressa

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2022