• Poder

    Monday, 23-Nov-2020 22:33:42 -03

    Projeto de internet de Marta gera dúvida

    CATIA SEABRA
    RANIER BRAGON
    da Folha de S.Paulo

    16/09/2008 09h47

    A candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, promete cobrir toda a cidade com internet sem fio gratuita num prazo de quatro anos. Mas o próprio comando da campanha reconhece que a universalização consumiria pelo menos oito anos, ou dois mandatos.

    "Vamos começar com os 3.000 prédios da prefeitura, mas isso é o começo. Depois vamos ampliar e, nesses quatro anos, vamos cobrir a cidade inteira. Para que a cidade de São Paulo possa ser uma cidade antenada", disse Marta, em discursos no Sindicato das Costureiras de São Paulo e Osasco.

    Um dos responsáveis pela elaboração do programa de governo do PT, Roberto Garibe explica que, para o primeiro mandato, a meta seria criar "ilhas digitais", graças à instalação de antenas nos cerca de 3.000 prédios da prefeitura.

    Em outros dois anos, o programa seria ampliado para os grandes corredores. Só depois atingiria toda a cidade.

    "Na primeira fase, dos quatro primeiros anos, vamos equipar todos os prédios públicos com WiFi. A idéia é que, em até seis anos ou mais, a gente consiga ampliar isso para toda a cidade", disse Garibe.

    Dependendo da topografia, cada antena teria raio de até 500 metros de alcance. O comando da campanha ainda não calculou quantos moradores seriam beneficiados pelo programa. Segundo Garibe, a idéia é oferecer o serviço em escolas, bibliotecas e telecentros, contemplando também os vizinhos de prédios públicos.

    O programa, segundo Garibe, custaria R$ 64 milhões em quatro anos, incluindo manutenção e fiscalização. Garibe, no entanto, não sabe quanto seria necessário para garantir acesso do usuário à internet. "Vamos comprar isso no atacado e negociar o preço. Queremos fazer isso em parceria com o setor privado. Temos sinalização de que há interesse em fazer."

    Para garantir cobertura, Garibe aposta não só no apoio do setor privado mas na "evolução da tecnologia". "Há possibilidade de que, numa parceria público-privada, a gente consiga futuramente preencher esses espaços que os prédios públicos não vão preencher."

    Classe média

    Lançada pela campanha de Marta --que pretende conquistar espaço na classe média-- a promessa é estrela na campanha de TV. Ontem, numa entrevista para um site, o prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), prometeu ampliar o serviço de telecentro. Marta reagiu, acusando-o de copiar suas propostas.

    O comando da campanha de Geraldo Alckmin lançou dúvidas sobre a viabilidade da proposta. O deputado tucano Júlio Semeghini diz que o PT "parece não saber exatamente o que fazer". "É como se tivessem lançado só para aparecer como autor da proposta."

    Segundo ele, é necessário um estudo que beneficie apenas as comunidades mais carentes. "Se for em prédio público, no centro, o PT vai subsidiar a classe média e empresas."

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2020