• Poder

    Thursday, 23-Sep-2021 21:46:33 -03

    Alckmin escala Bruno Covas para Meio Ambiente

    RENATA LO PRETE
    EDITORA DO PAINEL
    FÁBIO ZAMBELI
    DO PAINEL

    22/12/2010 16h19

    O governador eleito, Geraldo Alckmin (PSDB), deve indicar o deputado estadual Bruno Covas (PSDB) como secretário de Meio Ambiente. A pasta, cobiçada pelo PV, foi oferecida anteontem ao neto de Mário Covas. Campeão de votos para a Assembleia, ele antes foi cotado para assumir o Desenvolvimento Social, mas manifestou desinteresse por essa pasta.

    Bruno, 30 anos, foi o relator do Orçamento de 2011, aprovado na madrugada de ontem com todos os pleitos feitos pela equipe de transição.

    Mastrangelo Reino - 20.set.2010/Folhapress
    Alckmin escala Bruno Covas para Meio Ambiente
    Alckmin escala Bruno Covas para Meio Ambiente

    Com a escolha, Alckmin eliminará um potencial foco de atrito no tucanato logo no início da próxima legislatura, já que Bruno se mostrava decidido a disputar a indicação do PSDB para o comando da Mesa com o atual presidente, Barros Munhoz. Na bancada há ainda outro postulante, Celino Cardoso.

    A Folha apurou que o racha interno no PV contribuiu para selar a escolha de Bruno. Enquanto a bancada verde ainda reivindica que um parlamentar seja alçado ao secretariado, a direção estadual declarou "independência" no novo governo, depois de ver naufragar a chance de comandar o Meio Ambiente.

    Fábio Feldmann, nome que agradava Alckmin para a função, declinou, alegando incompatibilidade com sua agenda de compromissos nacionais e internacionais.

    Ante o impasse, os nove deputados "verdes", que efetivamente terão poder de desequilibrar o bloco governista, ganharam força e devem emplacar um de seus integrantes no primeiro escalão, à revelia da Executiva Estadual. Ontem, o líder Édson Giriboni se comprometeu a comunicar à noite à transição o nome do escolhido. Esportes ou Desenvolvimento Social seria a secretaria usada na negociação.

    No PPS, Davi Zaia é o nome consensual para a Secretaria de Emprego e Relações do Trabalho. Ele é presidente da Federação dos Bancários, filiada à UGT (União Geral dos Trabalhadores) e cumpriria o papel de reposicionar a pasta com o movimento sindical. Com seu ingresso no Bandeirantes, promove o suplente Vitor Sapienza, amigo de Alckmin e ex-presidente da Assembleia, ao sétimo mandato na Casa.

    NEOALIADOS

    Na fatia reservada aos neoaliados, Alckmin deve mesmo ceder ao PSB um posto no primeiro escalão. Ontem, o deputado federal Márcio França, presidente estadual da sigla e até anteontem citado na lista de ministeriáveis de Dilma Rousseff (PT), pediu e obteve de correligionários um documento explicitando que seria ele o nome do partido para a vaga.

    A secretaria em vista para o PSB é a de Turismo, que será desmembrada de Esportes e ganhará, entre outras atribuições, a gestão dos recursos do Dade (Departamento de Apoio e Desenvolvimento de Estâncias) e a estruturação da Companhia Paulista de Turismo (empresa que funcionará nos moldes da Embratur).

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021