• Poder

    Saturday, 17-Apr-2021 14:05:27 -03

    Sócio de Pimentel diz que deixa cargo para preservar ministro

    PAULO PEIXOTO
    DE BELO HORIZONTE

    08/12/2011 19h00

    Sócio do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento e Indústria) na consultoria P-21, Otílio Prado entregou hoje sua carta de demissão ao prefeito Marcio Lacerda (PSB), de quem era assessor especial na Prefeitura de Belo Horizonte.

    Ele disse que deixa o cargo para preservar a imagem de Lacerda e a do ministro.

    Sócio de Pimentel deixa cargo na Prefeitura de Belo Horizonte
    Secretário do PT chama de 'hipocrisia' denúncias contra Pimentel
    Empresa contratada por Pimentel pagou R$ 400 mil a petista
    Sócio de Pimentel trabalhava na Prefeitura de BH durante consultorias

    A queda de Otílio se deu após a revelação de que a consultoria P-21 faturou R$ 2 milhões em dois anos, sendo que R$ 400 mil foram pagos pela empresa QA Consulting, que tem entre os sócios um filho de Otílio.

    Na gestão de Pimentel como prefeito de BH, essa empresa teve contrato com a empresa pública Prodabel (processamento de dados) no valor de R$ 173,8 mil.

    "Compreendo que a questão assume ares que vão além das questões factuais e não quero de nenhuma forma criar constrangimento indevido à figura do prefeito, pessoa pela qual nutro o maior respeito e reafirmo a minha lealdade, e tampouco causar prejuízo à imagem dessa administração e também à figura do ministro Fernando Pimentel", escreveu ele.

    Na carta a Lacerda, Otílio disse que não havia incompatibilidade na função que exercia como assessor do prefeito com a de sócio da P-21, porque a empresa se tornou inativa no final do ano passado.

    Ele disse que foi "sócio minoritário e exclusivamente sócio capitalista até novembro de 2010", quando se tornou "sócio-gerente" --nessa ocasião, segundo ele, a empresa já estava inativa.

    "Isso se deve ao fato de que toda atividade da empresa P-21 era exercida pelo ministro Fernando Pimentel, de vez que se tratava de consultoria econômica, principalmente conjuntura econômica, questões afetas à expertise detida pelo ex-prefeito e atual ministro."

    Otílio, filiado ao PSB, chegou à Prefeitura de BH pelas mãos do então prefeito Célio de Castro, no final dos anos 90, e se manteve na prefeitura até hoje.

    Com Pimentel, que era vice de Castro e o sucedeu após sua morte, Otílio permaneceu lotado no gabinete do prefeito e se tornou muito próximo do atual ministro.

    Foi seu secretário particular na prefeitura e, terminado o mandato, em 2009, ficou sócio de Pimentel na consultoria.

    Com a posse de Lacerda, lançado pelo padrinho político Pimentel, Otílio foi mantido no gabinete como assessor especial do prefeito.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021