• Poder

    Saturday, 16-Oct-2021 05:28:29 -03

    Rede de comunicação criada por sindicatos da CUT cresce

    DANIEL RONCAGLIA
    DE SÃO PAULO

    27/12/2012 06h00

    Sindicatos ligados à CUT (Central Única dos Trabalhadores) fortaleceram nos últimos meses uma rede de comunicação própria que dispõe de uma emissora de televisão, três rádios, dois sites de notícias, dois jornais e uma revista mensal.

    O projeto, que começou a ser planejado na década de 1980, ganhou impulso durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando os sindicatos conseguiram autorização para operar uma emissora de televisão, a TV dos Trabalhadores.

    A emissora, conhecida como TVT, entrou no ar em 2010, mas seu alcance é limitado. O sinal é transmitido em UHF a partir de Mogi das Cruzes (SP), na Grande São Paulo, e replicado por sites e canais comunitários com os quais a CUT fez parcerias.

    Após Rose e Valério, Lula só dá entrevistas à TVT

    Reprodução
    Lula em entrevista à TVT em novembro, quando festejou a expansão da emissora que ajudou a criar
    Lula em entrevista à TVT em novembro, quando festejou a expansão da emissora que ajudou a criar

    Para ampliar seu alcance na região metropolitana, a TVT vai instalar uma antena geradora na avenida Paulista no próximo ano, novidade celebrada pelo próprio Lula numa entrevista à emissora no fim de novembro.

    "A TVT, se Deus quiser, vai evoluir muito", disse Lula. "Deixa sair a antena da Paulista para comemorarmos."

    A rede tem a ambição de oferecer uma alternativa à programação das emissoras comerciais, veiculando programas jornalísticos, educativos e documentários produzidos pela TV Câmara e outros parceiros.

    O investimento inicial para a criação da TVT foi de R$ 15 milhões, segundo a emissora.

    Como muitos sindicatos são mantidos com recursos do imposto sindical, eles não podem ter concessões de rádio e televisão. Para montar sua rede de comunicação, os sindicatos da CUT criaram a Fundação Sociedade, Comunicação, Cultura e Trabalho.

    A entidade tem como sócios os dois maiores sindicatos da CUT, o dos metalúrgicos do ABC paulista e o dos bancários de São Paulo.

    A fundação é presidida pelo diretor de comunicação do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Valter Sanches. Ele afirma que a ligação que a maioria dos dirigentes da CUT tem com o PT não significa que o partido exerça influência no projeto.

    "Com a CUT temos uma parceria muito sólida de troca de conteúdos e algumas pautas conjuntas e sinergias", diz. "Nem o PT, nem nenhum outro partido tem qualquer envolvimento com o projeto."

    Em agosto, a fundação pôs no ar a Rádio Brasil Atual, formada por três emissoras de rádio FM, sediadas em Mogi das Cruzes, São Vicente (no litoral paulista) e Pirangi (Noroeste do Estado). As três concessões foram obtidas em 2009.

    Outro braço da rede é o site Rede Brasil Atual, que afirma contar com 330 mil visitantes únicos mensais. A página publica notícias que abastecem sites e blogs alinhados ao PT. O site oficial do PT paulista destaca um link direto para a página.

    Toda a rede de comunicação criada pela CUT tem um corpo de jornalistas que soma cerca de 170 profissionais. Seu custo operacional, exceto o jornal e a revista da Rede Brasil Atual, é estimado em R$ 800 mil mensais.

    Editoria de Arte/Folhapress
    CUT

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021