• Poder

    Wednesday, 23-Sep-2020 10:51:24 -03

    PSDB intervém em diretório no RS e nomeia deputado próximo a Aécio

    FELIPE BÄCHTOLD
    DE PORTO ALEGRE

    22/06/2015 17h50

    O comando nacional do PSDB decidiu intervir no diretório do partido do Rio Grande do Sul, suspendeu uma eleição interna que ocorreria no domingo (21) e designou como presidente estadual um deputado federal próximo ao senador Aécio Neves (MG).

    A disputa interna havia parado na Justiça depois que dezenas de delegados do partido no Estado tiveram o direito a voto suspenso pela direção nacional no fim de maio.

    Agora, uma resolução assinada por Aécio, presidente nacional do partido, nomeou o deputado Nelson Marchezan Junior como presidente provisório do PSDB gaúcho. Marchezan era candidato na disputa interna, mas vinha enfrentando dificuldades para ganhar espaço na base do partido.

    Os delegados que tinham sido impedidos de votar pelo comando nacional pertenciam a diretórios municipais que se opunham à candidatura de Marchezan, o que gerou questionamentos por favorecer o deputado.

    A decisão de suspender a eleição interna aponta como motivos o "acirramento político entre os grupos inscritos" e a necessidade de manter "a unidade" partidária. Também afirma que ainda há muitos recursos pendentes questionando eleições em diretórios municipais pelo Estado.

    A comissão provisória designada pela direção nacional não tem prazo definido de atuação. O favorito para vencer a disputa interna, Lucas Redecker, foi indicado como um dos 11 integrantes da nova executiva estadual.

    Opositor de Marchezan dentro do PSDB, o deputado estadual Jorge Pozzobom, que apoiava Redecker, criticou a medida da direção nacional e afirma que a maioria do partido no Estado não apoia o novo presidente provisório.

    "Foi autoritarismo, uma violação da democracia interna do partido", diz.

    O diretor de gestão corporativa do PSDB nacional, João Almeida, rejeita o termo "intervenção" e diz que o partido buscou "harmonizar" uma divisão que havia no Estado. Ele afirma que os grupos concorrentes foram contemplados na formação da executiva provisória no Rio Grande do Sul.

    "Há algumas dissidências na periferia [do PSDB], mas os titulares do partido estão todos compreendendo esse momento."

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2020