• Poder

    Sunday, 16-Jun-2019 10:00:57 -03

    Lava Jato

    Delcídio afirma à PF que Temer tem 'relação próxima' com Zelada, diz TV

    DE SÃO PAULO
    DE BRASÍLIA

    27/11/2015 10h36

    Diego Padgurschi - 25.set.2015/Folhapress
    SABO PAULO, SP, BRASIL - 25-09-2015: O presidente interino Michel Temer durante encontro com empresarios no hotel Renascence, no bairro dos Jardins - (Diego Padgurschi /Folhapress - PODER) ***EXCLUSIVO***
    O vice-presidente presidente da República, Michel Temer (PMDB)

    Em depoimento à Polícia Federal nesta quinta-feira (26), o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) afirmou que o vice-presidente Michel Temer tem "relação próxima" com Jorge Zelada, ex-diretor da Área Internacional da Petrobras que é acusado de receber propina e que teria chegado ao cargo com apoio do PMDB de Minas Gerais.

    As informações são da Globonews, que teve acesso ao depoimento.

    Ainda de acordo com a TV, Delcídio foi questionado sobre que relações seriam estas, mas ele não respondeu.

    O senador foi preso na Operação Lava Jato por suspeita de tentar atrapalhar as investigações do esquema de corrupção na Petrobras. Em gravação feita por Bernardo, filho do ex-diretor da estatal Nestor Cerveró, Delcídio e o advogado Edson Ribeiro –que foi preso nesta sexta (27) ao voltar dos Estados Unidos– discutiram uma forma de retirar Cerveró da prisão por meio de influência política no Supremo Tribunal Federal e, depois, retirá-lo do país pelo Paraguai.

    Nessa conversa, o líder do governo no Senado avaliou a situação de integrantes da cúpula do PMDB no esquema de corrupção da Petrobras, chegando a citar o vice-presidente. Segundo a gravação, Delcídio afirma que "Michel está muito preocupado com o Zelada".

    De acordo com investigadores, houve o pagamento de propina de US$ 31 milhões na contratação de um navio-sonda pela Petrobras em 2008, sendo que parte foi paga a Zelada e ao ex-gerente da Petrobras Eduardo Musa e outra parcela foi destinada ao PMDB.

    Na conversa gravada, Delcídio diz que poderia acionar Temer para tentar conversar com o ministro do STF Gilmar Mendes para discutir a liberdade do ex-diretor.

    Na gravação, Delcídio afirma o vice falou com o ministro do Supremo sobre o caso de Zelada. "O Michel conversou com o Gilmar também" sobre a situação do ex-diretor, disse o senador, "porque o Michel tá muito preocupado com o Zelada".

    STF

    Segundo informou a Globonews, Delcídio disse em seu depoimento à PF que não esteve com ministros do STF para tratar de Cerveró.

    Afirmou, ainda, que o filho do ex-diretor da Petrobras pediu que ele falasse com ministros da Corte sobre um possível habeas corpus em benefício de seu pai, e que só usou de palavras de conforto com ele –informação que o advogado do senador já havia relatado.

    Na conversa gravada, Delcídio afirma que havia se encontrado com os ministros Teori Zavascki, Dias Toffoli e Gilmar Mendes para falar sobre Cerveró.

    O senador, ainda de acordo com a Globonews, disse também que não tem medo de delação premiada –Cerveró fechou acordo com a Procuradoria-Geral da República.

    OUTRO LADO

    O vice-presidente da República, Michel Temer, negou ter "qualquer relação de proximidade" com Jorge Zelada. Por meio de nota divulgada por sua assessoria de imprensa, Temer afirma "não indicou nem trabalhou" pela manutenção de Zelada no cargo e "repudia" as declarações de Delcídio.

    "Em 2007, o senhor Jorge Zelada foi levado à Presidência do PMDB por estar sendo indicado para cargo na Petrobras, ocasião em que foi apresentado a Michel Temer. O presidente do PMDB não o indicou nem trabalhou pela sua manutenção no cargo. Portanto, o presidente do PMDB nega qualquer relação de proximidade com Jorge Zelada e repudia veementemente as declarações do senador Delcídio do Amaral", diz a nota assinada pela assessoria de Temer.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2019