• Poder

    Monday, 18-Jun-2018 06:28:47 BRT

    o impeachment

    Irritado com manifestantes, Ciro Gomes diz que Lula é 'um merda'

    DANIELA LIMA
    DE BRASÍLIA
    CÁTIA SEABRA
    DE SÃO PAULO

    17/03/2016 15h13

    Irritado com a presença de manifestantes anti-Dilma durante a madrugada na rua em que mora seu irmão, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) chamou os ativistas de fascistas e reagiu quando citaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: "O Lula é um merda", disse.

    O episódio, registrado em vídeo pelas pessoas que faziam protesto, ocorreu na madrugada desta quita-feira (17). Visivelmente irritado, Ciro diz que "democracia é respeitar a casa alheia" e ordena que eles deixem o local. O ex-governador do Ceará Cid Gomes, irmão de Ciro, também aparece nas imagens.

    Ciro chama um dos defensores do impeachment de "filho da puta" e chega a partir para cima do homem quando ele reafirma a intenção de fazer o ato. "Vem acontecer seu frouxo, filho da puta", diz Ciro. "Eu estou protegendo a casa de vocês. Fazem isso hoje, amanhã vem e fazem contigo" e emenda: "vão para casa! não fica nenhum".

    Em um outro vídeo, aparentemente mais calmo, o ex-ministro diz que os ativistas precisam estudar a história e é questionado por uma manifestante. "Onde é que na história está escrito que o Lula é inocente, doutor?", e responde: "Inocente nada, o Lula é um merda".

    Ele diz, no entanto, que isso não é motivo para os protestos acontecerem "na frente da casa dos outros". "Quando alguém é um merda, a gente representa na polícia, respeita o processo legal... Não vem de madrugada assustar uma pessoa indefesa. Covardes, bando de fascistas". Ele ainda afirma que o irmão foi seguido e ameaçado pelos manifestantes.

    OUTRO LADO

    O ex-ministro Ciro Gomes divulgou nota em que diz ter defendido a integridade do irmão ao bater boca com manifestantes.

    Num desabafo, Ciro xingou manifestantes e disse que o ex-presidente Lula é um merda. Mas que deve ser julgado dentro das regras democráticas.

    Nota enviada pela assessoria de comunicação de Ciro Gomes:

    Em atenção à opinião pública, esclarecemos:

    O ex-ministro Ciro Gomes foi surpreendido na madrugada desta quinta-feira (17) com a notícia de que seu irmão, o ex-governador Cid Gomes, que atualmente não ocupa nenhum cargo público, estava sendo agredido, insultado e ameaçado fisicamente na porta de sua casa. Ciro agiu, então, como qualquer cidadão deveria agir em casos de violência: foi até o local para defender os direitos e a integridade de seu irmão.

    O direito de se manifestar se limita ao que determina a democracia. Qualquer violência, abuso ou cerceamento de liberdades de um grupo contra qualquer cidadão tem um nome: fascismo.

    Ciro Gomes e Cid Gomes estão preocupados com o gravíssimo momento que vive o Brasil e lutam para garantir que o estado democrático de direito não seja violentado e que o Brasil reencontre o caminho para o seu desenvolvimento.

    Edição impressa
    [an error occurred while processing this directive]

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2018