• Poder

    Sunday, 25-Aug-2019 10:38:05 -03

    'Não somos bichos-papões', diz Geddel

    GABRIEL MASCAREHAS
    MARINA DIAS
    DE BRASÍLIA

    13/05/2016 02h00

    Danilo Verpa - 20.abr.2016/Folhapress
    SAO PAULO - SP - 20.04.2016 - Geddel Vieira Lima chega a escritorio no bairro de Pinheiros, em Sao Paulo onde o vice-presidente Michel Temer esta. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress, PODER) ORG XMIT: TEMER EM SP
    O ministro Geddel Vieira Lima, titular da Secretaria de Governo do presidente interino Michel Temer

    Deputado federal por seis mandatos seguidos e ex-ministro do governo Lula, o baiano Geddel Vieira Lima chega ao Palácio do Planalto com status de um dos homens mais próximos do presidente interino Michel Temer.

    Sob sua tutela está a Secretaria de Governo, pasta que cuidará, entre outros temas, das delicadas relações com as entidades da sociedade civil organizada –principal base de apoio do PT– e parlamentares.

    Geddel nega a pecha de golpista, questiona a intenção do PT de fazer uma oposição ferrenha e avisa: 'não somos bichos papões'.

    *

    Folha - Movimentos sociais, base de apoio petista, protestaram contra Temer: como lidar com essa rejeição?

    Geddel Vieira Lima - É com entendimento, com diálogo, é mostrar que não somos bichos papões e respeitamos a posição deles. E ninguém vai ficar protestando a vida inteira, sobretudo se começar a ver medidas sinceras que venham ao encontro dos anseios da sociedade. Brasil não pode continuar dividido, conflagrado, na situação que está.

    No Congresso há mais gente honesta ou desonesta?

    Há honestos, desonestos, homens, mulheres, todas as crenças e convicções, é o espelho da sociedade brasileira. Como acho a maioria da sociedade é honesta, acho a maioria do Parlamento é honesta.

    O que acha de a bancada do PT na Câmara anunciar que votará contra todas as propostas de Temer?

    País não deseja mais radicalismo, mas se forem competentes e vigilantes como oposição, vou aplaudir. Vão ter dificuldade de fazer essa oposição. Vão criticar o quê? O que eles fizeram? País está nessa situação porque eles não deram conta de governar como deveriam

    O que dizer para quem o chama de golpista?

    Quem respeita a Constituição não pratica golpe.

    Há constrangimento em se reunir com ministros investigados pela Lava Jato?

    Não. Terei constrangimento em sentar em uma reunião com quem for comprovadamente culpado ao fim de uma investigação.

    No primeiro governo Dilma, o senhor teve atritos com Michel Temer. Vocês se resolveram?

    Minha relação com Temer é de 30 anos. Essa relação me dá absoluta liberdade de dizer o que penso. Em nenhum momento deixamos de nos falar. Ele sabe que gente como eu faz o papel que muitos deixam de fazer, que é dizer aquilo que verdadeiramente pensa e que, por vezes, alerta para alguns equívocos.

    O senhor acha Dilma Rousseff uma mulher honesta?

    Eu não sou juiz de honestidade, seriedade de ninguém. Julgo a gestora, isso que me cabe como eleitor. A Dilma se mostrou inepta e incapaz como gestora e absolutamente inapetente como política para ser presidente de um país com as complexidades de um país como o Brasil. A honestidade ou desonestidade dela não me cabe avaliar. Estou convencido de que ela burlou a Constituição e cometeu crime de responsabilidade fiscal e por isso está afastada pelo Senado.

    O senhor acha o governo Temer tão legítimo quanto um eleito nas urnas?

    Essa discussão boba sobre legitimidade é desrespeitosa com a Constituição. Se, eventualmente, por alguma razão de saúde, Dilma tivesse que se afastar do governo –longe de mim desejar isso, longa vida a ela–, mas seria ilegítimo o vice-presidente assumir? Pelo amor de Deus, isso é uma bobagem, está se seguindo a Constituição.

    O PMDB é apontado como fisiologista. Como lidar com quem for fisiologista junto ao governo?

    Não concordo com essa avaliação. O PMDB ficou estigmatizado. Tem outro partidos que têm estigmas como tais. Como o PMDB muda isso? A política brasileira vive um novo momento. O início da Lava Jato é importante. Temos que mostrar que práticas vistas como normais lá atrás não é mais visto assim hoje. Rui Barbosa já dizia: "até as pedras mudam", então nós temos que mudar para que a sociedade não nos mude dessa atividade.

    Qual a nota, em termos de qualidade, do ministério de Michel Temer?

    Não sou professor. É um ministério de alta qualidade dentro do que é possível.

    Edição impressa

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2019