• sãopaulo

    Sunday, 05-Dec-2021 20:08:15 -03

    Seguranças do Metrô de SP montam banda e fazem shows em estações

    RENATA MIRANDA
    DE SÃO PAULO

    21/10/2012 03h00

    Hora do rush, 17h30 de terça-feira. Pessoas se aglomeram na plataforma de embarque da estação Ana Rosa, linha 1-azul do metrô. Trens vão e vêm, mas elas continuam ali. Querem ver a Banda dos Seguranças do Metrô tocar.

    Em uma hora de show, o conjunto, formado há dez meses, interpreta de Zeca Pagodinho a Queen. "Variamos o repertório para agradar todo mundo", diz Wagner Tadeu da Silva Júnior, 34, que toca cavaquinho e violão.

    Alisson Louback/Folhapress
    Segurancas do Metrô formam banda de música e posam para foto na estação Brás
    Segurancas do Metrô formam banda de música e posam para foto na estação Brás: próximo show será em 30/10

    Além dele, outros oito seguranças de diversas estações participam -Ivan Carlos Costa Lima, 27, nos vocais; Claudinei do Nascimento Cipriano, 29, tecladista; Carlos Henrique Nunes dos Santos, 39, contrabaixista; Cláudio Adolpho Ramos Leite Correa Pinto, 28, na percussão; Fábio Miranda Ferreira, 33, baterista; Marcos José Soares, 35, guitarra e violão; Lucivaldo Soares de Araújo, 35, no trombone e maestro; e Geverton Ferreira, 29, saxofonista.

    O conjunto surgiu depois que alguns dos integrantes se apresentaram em um asilo como parte de uma ação voluntária. Perceberam a afinidade no palco e resolveram montar a banda, cujos shows ocorrem dentro das estações, fora do horário de trabalho. O Metrô garante o espaço para ensaios e os equipamentos.

    A primeira apresentação ocorreu em fevereiro, na Sé. A ideia foi bem recebida e o Metrô decidiu agendar shows mensais, sempre às 17h30 -horário estratégico para atrair público e desafogar os vagões. O próximo será em 30/10, na Palmeiras-Barra Funda.

    Uma semana antes, nove estações recebem o Sounderground, festival internacional com músicos habituados a tocar no metrô.

    Apesar da receptividade do grupo paulistano, nenhum dos seguranças pensa em largar o serviço para buscar a fama. O vocalista Ivan chegou a ser chamado por um programa, mas preferiu a estabilidade do emprego.

    Na hora de subir no palco, eles deixam de lado algemas e coletes à prova de balas. "Esse é um projeto que ajuda a aproximar o usuário do funcionário do metrô", diz o chefe do departamento de segurança da empresa, Rubens Menezes. "É uma ideia que quebra o paradigma do uniforme preto."

    SERVIÇO
    Confira a agenda dos shows em www.facebook.com/BsmBandaDosSegurancasDoMetro

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021