• sãopaulo

    Wednesday, 20-Jan-2021 23:38:20 -03

    Humorista do "Agora É Tarde" tem visto cancelado para o Japão após piadas com tsunami

    FABIANA SERAGUSA
    DE SÃO PAULO

    06/09/2013 11h15

    O humorista Léo Lins, do "Agora É Tarde" (Band), estava com passagem comprada para o Japão para o próximo dia 11/9, para compromissos profissionais, mas teve seu visto de trabalho cancelado na última sexta-feira (30/8).

    De acordo com o artista, que já havia obtido aprovação do visto há mais de um mês, o veto ocorreu três dias após a divulgação de um vídeo que misturava imagens trágicas do tsunami de 2011 no Japão com trechos de um show de humor feito há dois anos, com piadas sobre o tema --e um dia após um abaixo-assinado para "impedir a entrada de Léo Lins no Japão" ter sido encaminhado ao Consulado.

    "A alegação para cancelar o visto é que eu estaria indo para ganhar dinheiro", conta o comediante. E que, para isso, precisaria de outro tipo de liberação.

    Mas, segundo Léo, imediatamente foram apresentados documentos que comprovavam que a viagem seria para fazer gravações para o "Agora É Tarde", comandado por Danilo Gentili, e que estava escalado, sim, para fazer participações em shows de humor por lá, mas todas não remuneradas.

    "O cônsul disse que entendia meu lado, mas que não havia me chamado para negociar, e, sim, para cancelar", conta o artista, que tentou reverter a situação novamente nesta terça-feira (dia 3) indo ao Consulado com outros documentos, mas sem sucesso.

    "Minha meta é descobrir qual visto é necessário para a atividade que eu iria realizar no Japão, pois até agora permanece um mistério."

    Consultada, a assessoria do Consulado do Japão afirma que "o visto não foi cancelado em decorrência das declarações do solicitante sobre o tsunami" e que "não podem se pronunciar sobre a análise dos processos, por serem confidenciais".

    VÍDEO, ABAIXO-ASSINADO E AMEAÇAS

    Léo Lins conta que a "perseguição" começou no fim de agosto, quando a página Brasileiros no Japão passou a divulgar um vídeo no qual as piadas feitas durante seu show, há dois anos, apareciam em meio a imagens de pessoas mortas e locais devastados, tudo com fundo musical triste.

    "O vídeo era tão tendencioso que, após assistí-lo, eu mesmo cheguei a pensar: 'gente, onde eu estava com a cabeça quando fiz esse terremoto? Deve ter sido minha culpa!'", diz o humorista. "Eu não fiz piadas no meio dos escombros ou ao lado das pessoas chorando porque perderam a família, fiz piadas em um teatro durante um show de comédia. Foi completamente retirado de contexto. Eu nunca quis ofender ninguém."

    Três dias depois o vídeo foi tirado do ar --removido pelo próprio Facebook, segundo o administrador da página--, mas a repercussão foi tão grande que Léo Lins começou a receber uma série de ameaças por mensagens, e-mails e telefone. Também foi criado um abaixo-assinado pedindo que o Japão impedisse a viagem do artista, e essa lista de assinaturas foi encaminhada ao Consulado. Um dia depois o visto foi cancelado.

    Léo Lins, que diz ter todos os prints das ameaças via internet e das mensagens que provam a autoria do vídeo-montagem, conta que vai atrás de medidas judiciais para processar essas pessoas por difamação e injúria. Se ganhar, diz que não vai querer o dinheiro. "Vou doar para as famílias que sofreram com as catástrofes do tsunami."

    *

    VEJA VÍDEO ORIGINAL COM AS PIADAS DE LÉO LINS (SEM A MONTAGEM):

    Vídeo

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021