• Turismo

    Wednesday, 20-Jan-2021 22:23:31 -03

    Folha Verão

    A dez quilômetros de Paraty, Prainha rende um passeio atrás do outro

    ANDRÉ BARCINSKI
    COLUNISTA DA FOLHA

    29/12/2016 02h00

    Não é raro ouvir algum turista dizendo que para encontrar uma boa praia em Paraty é necessário sair de barco ou meter-se na muvuca de Trindade. Qualquer um que conheça a região sabe que isso não é verdade.

    O município de Paraty tem, em sua costeira, dezenas de praias maravilhosas, facilmente acessíveis por carro, ônibus ou bicicleta. Na direção de São Paulo, tem Paraty Mirim; na direção do Rio, há Praia Grande, Iriri, São Gonçalo e São Gonçalinho, entre várias outras.

    Uma das praias mais conhecidas da costa paratiense é a Prainha, localizada na Praia Grande, uma bonita e tranquila vila de pescadores no km 565 da Rio-Santos, a 10 km de Paraty, na direção do Rio de Janeiro. Para quem não tem carro, é fácil ir até lá: é só pegar todo ônibus que sai da rodoviária de Paraty na direção do Rio.

    Alguns descem até a vila, outros deixam os passageiros em um ponto na rodovia, de onde é necessário descer uma ladeira para chegar à Praia Grande. Muita gente também faz o passeio de bicicleta, saindo de Paraty.

    Chegando à Praia Grande, o turista precisa caminhar até o fim da vila. O acesso à Prainha se dá por uma trilha fácil, de cerca de 300 metros. A praia tem cerca de 200 metros de extensão, areia branquinha e águas calmas. Não é uma região de mangue, como muitas por ali. Não há árvores próximas, então é bom não esquecer o guarda-sol.

    Toda a área em torno da Prainha é muito bonita e rende outros passeios. Bem em frente fica a Ilha do Araújo, uma das mais conhecidas de Paraty, habitada, majoritariamente, por famílias de pescadores. Do cais da Praia Grande, você pode pegar um barco e atravessar até a ilha, visitando praias como Tapera e Salvador Moreira. A travessia tem cerca de 600 metros e não leva mais de dez ou quinze minutos, dependendo do barco e do destino.

    A Ilha do Araújo tem cerca de dois quilômetros de extensão, um quilômetro de largura e uma trilha que a circunda por inteiro. Vale a pena tirar duas horinhas para fazer essa caminhada, passando por pequenas praias desertas. No início de junho, a ilha abriga a tradicional Festa do Camarão, que marca o início da pesca do crustáceo. Próximo à igrejinha da vila, barracas vendem vários pratos com o ingrediente.

    Cinco praias para conhecer em 2017

    Há duas boas opções para comer próximo à Prainha: na própria Praia Grande, há o Quiosque São Francisco, que fica na areia da praia e tem mesas ao ar livre, embaixo de uma grande amendoeira. O lugar serve ótimos frutos do mar, com destaque para as "pranchas" de lula, camarão e polvo, acompanhados de pirão e farofa.

    Para quem quiser algo mais rápido e barato, a dica é voltar à Rodovia Rio-Santos e andar mais mil metros na direção do Rio de Janeiro até a Toca do Pastel, uma pastelaria localizada num mirante com uma vista espetacular da baía de Paraty. Além de um bom pastel (o destaque, claro, é o de camarão), o lugar serve caipirinhas, sucos e água de coco. Ver o pôr do sol dali é o encerramento ideal para um dia na Prainha.

    Edição impressa

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2021