• Equilíbrio e Saúde

    Tuesday, 25-Jun-2024 18:01:45 -03

    Vacina terapêutica pode tratar lesões cervicais

    CLÁUDIA COLLUCCI
    DE SÃO PAULO

    31/01/2014 02h50

    Depois do arsenal preventivo contra o câncer de colo do útero (exame papanicolaou e da vacina que previne o HPV), desponta agora uma vacina terapêutica que pretende evitar que células pré-cancerígenas se transformem em tumor de colo uterino.

    Os resultados ainda são preliminares –apenas 12 mulheres com lesões cervicais ligadas ao vírus HPV foram testadas. O estudo foi publicado ontem na revista científica "Science Translational Medicine".

    O tratamento potencializou a ação do sistema imunológico contra as células pré-cancerígenas presentes na lesão cervical. As mulheres receberam três injeções da vacina no braço durante oito semanas. Não houve recidiva.

    Leonel Maldonado, um dos pesquisadores do estudo e professor do Johns Hopkins Medical Institutions, afirma que o tratamento acelera a reação dos linfócitos T, que combatem a reprodução desordenada de células.

    Após a aplicação da vacina, os pesquisadores compararam as respostas autoimunes. Foi observado que as células T se manifestaram em níveis antes não vistos. Espera-se que, com isso, as respostas imunes geradas pela vacina tenham o potencial de induzir a regressão completa da lesão cervical.

    No futuro, a expectativa é que essas vacinas evitem as cirurgias para a retirada de lesões do colo do útero. Hoje, parte do colo é removida, o que pode causar infertilidade e partos prematuros.

    Fale com a Redação - leitor@grupofolha.com.br

    Problemas no aplicativo? - novasplataformas@grupofolha.com.br

    Publicidade

    Folha de S.Paulo 2024